DE BEM COM O POVO: Advogado Carlos Maia com popularidade em alta em Parnamirim.


Chamou a atenção dos repórteres do Parnamirim Verdade a popularidade do ex-deputado Carlos Maia, durante o carnaval.

Ao lado da esposa, a competente Médica Dra. Tássia Verissimo, Carlos Maia, brincou os quatro dias de folia na tradicional praia de Pirangi, em Parnamirim. Ele não dava uma passada sem ser parado por populares para fotos e bate papo.

Também aproveitou para visitar a feira de Pium, centro de uma polêmica nos últimos dias. Ao chegar na feira Carlos Maia registrou o momento ao lado de mulheres vendedoras e se posicionou solicitando solução para o problema por parte do Poder Público local.

Em sua passagem na Assembleia Legislativa, o ex-deputado não traiu a confiança dos eleitores, votando favorável aos pleitos e anseios da sociedade, o que ajudou a manter sua boa reputação com os eleitores, apesar da não reeleição.

Estamos de olho em tudo que acontece nos bastidores políticos de Parnamirim.

Anúncios

Descaso da Prefeitura de Parnamirim leva ao fim a feirinha de Pium.


Por falta de projeto de reorganização e adequação por parte da Prefeitura de Parnamirim, a tradicional feirinha de Puim será expulsa do local.

Isso porque a mesmo a Ação Judicial sendo impetrada por terceitos, foi concedido pela Justica Potiguar dado prazo suficiente para que o Poder Público local desenvolvesse e executasse projeto de reorganização e restruturação do local, como limpeza e higienização da feira, preservando a segurança sanitária dos moradores do entorno.

Uma equipe do Parnamirim Verdade esteve no local e constatou o desespero dos feirantes e de seus familiares com a notícia de despejo das barracas.

Consumidores e turistas também emitiram opinião no sentido de que a feirinha passou a ser referência nacional de Pium, ponto de encontro de pessoas, especialmente ciclistas e atletas de corridas.

Advogado e ex-deputado Carlos Augusto assume cargo técnico no Estado visando ao Desenvolvimento do Estado.


O Advogado de Parnamirim, ex-vereador e deputado Estadual, Dr. Carlos Augusto Maia assumiu, a convite da Governadora Fátima Bezerra, a Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Norte-JUCERN.

O Advogado Carlos Augusto tomou posse no importante órgão de fomento à economia do Rio Grande do Norte, a Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Norte (Jucern) na manhã desta quarta-feira (27).

Antenor Roberto, que representou a governadora Fátima Bezerra, no auditório da Jucern, afirmou a necessidade de buscar parcerias visando o crescimento do Estado. “Precisamos discutir, não só as dificuldades fiscais, mas o desenvolvimento e a busca de alternativas para que o nosso povo, nessa crise, possa lograr também postos de emprego. Daí o relacionamento que a governadora está buscando junto ao setor empresarial, no qual a Jucern tem esse papel de dinamizar a nossa economia”, enfatizou.

Em seu pronunciamento, Carlos Augusto Maia destacou o papel estratégico do órgão: “Sonhamos com uma Junta que seja responsável por fomentar a economia, que seja uma indutora do desenvolvimento do Estado. Assim, buscarei junto com Daltro, diretoria e demais vogais fazer uma administração de muita responsabilidade, visibilidade e moralidade assim como está previsto na nossa constituição”, ressaltou. Ele disse ainda que pretende realizar um resgate da memória do comércio, em parcerias com outras instituições para fazer o Museu do Comércio do Rio Grande Norte.

Foram empossados, ainda, Daltro Freire de Paiva (vice-presidente) e mais três coordenadores: Éden Lopes (administrativo), Geniza Sarmento (registro de comércio) e José Ednarto Rego (finanças). Também tomaram posse 11 Vogais que representam de várias entidades do setor produtivo comercial: Conselho de Contabilidade do RN (CRC/RN); Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RN); Organização dos Sindicatos das Cooperativas do RN (OCE/RN); Associação Comercial e Empresarial do RN (ACRN); Federação das Indústrias do RN (FIERN); e Federação do Comércio de Bens, Serviços, Turismo do Estado do RN (Fecomercio).

Sobre a Jucern

Autarquia estadual, a Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Norte foi fundada há mais de cem anos, em 1899. Resumidamente, sua finalidade é a execução e administração, no âmbito estadual, dos serviços de registro público de empresas, incentivando a regularização e à abertura de novos estabelecimentos. Nos últimos anos, o processo de abertura de uma empresa caiu de 200 dias para 24 horas no RN, quando a Jucern inaugurou o Escritório do Empreendedor que reúne em um único espaço todos os serviços necessários à abertura de uma empresa. A ação tem contribuído diretamente para a geração de empregos formais.

CRESCE O NOME DE AIRENE PAIVA COMO PRÉ-CANDIDATO A PREFEITO DE PARNAMIRIM

Em Parnamirim os bastidores da política local começa a ferver. O que se fala em rodas de política, é o nome de Airene Paiva como um nome de consenso para chapa da oposição em 2020. Airene tem a marca da seriedade e honestidade.

Quem é Airene Paiva?

Airene Paiva, 51 anos, é natural de Rafael Godeiro/RN, Bacharel em Direito, formado pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, Notário e Registrador na cidade de Parnamirim/RN, Especialista em Direito Registral Imobiliário pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC Minas, Doutorando em Sociedad Democrática, Estado y Derecho pela Universidad Del País Vasco- UPV – Espanha. Foi seminarista, concluiu os Estudos Filosóficos no ITER – Instituto de Teologia do Recife/PE, período onde atuou na ACR-Animação dos Cristãos no Meio Rural, no projeto do VER-JULGAR-AGIR, elaborado pelo cardeal belga e apóstolo dos trabalhadores Joseph Cardin. Foi presidente da Associação dos Notários e Registradores do Rio Grande do Norte, atualmente é um dos seus diretores, É membro atual da CNB – Confederação dos Notários do Brasil, com sede em Brasília. É filiado ao PCdoB e membro da Direção Estadual, com a atuação no município de Parnamirim e em todo RN. Atuou na UJS em Pernambuco, na década de 80, e também na Juventude Secundarista no RN. Foi candidato a Deputado Federal pelo partido em 2006, ficando na 5º suplência. É presidente do Instituto de Protesto de Títulos do Brasil, seção do RN.

VEREADORA NILDA PERCORRE O MUNICÍPIO E DENUNCIA A FALTA DA COLETA DO LIXO E FAZ ALERTA DEVIDO AS CHUVAS

Vereadora Professora Nilda, tem visitado desde dezembro varias vias públicas a pedido da população, constatando total abandono por falta do poder executivo de Parnamirim.

Sabemos, que a limpeza urbana é responsabilidade de todos, porém, a Vereadora cobra do poder Executivo de Parnamirim, a retirada e um cronograma de coleta de lixos sólidos e podas, para que a população possa contribuir de forma mais efetiva, com a limpeza urbana da nossa cidade.

A vereadora tem feito vários alertas, tendo em vista que o acúmulo de lixo contribui para a proliferação de insetos e doenças. No período chuvoso, a agência de vigilância em saúde do município deveria atuar com um plano de ação nos bairros mais influentes para contaminação, por meio de alagamentos ou lixos acumulados.51706773_2145746858838372_7510327904257966080_n

Começou errado: Senador Capitão Styvenson vai querer auxílio moradia de quase 40 mil reais.

Depois de se eleger Senador com discurso moralista, Styvenson já chega em Brasilia sem abrir mão do desmoralizante auxílio moradia.

Os Senadores eleitos que alegaram não ter condições financeiras de fazer sua própria mudança para Brasília solicitam uma modéstia ajuda, uma pequena bagatela de quase 40 mil reais.

Do Rio Grande do Norte nenhum abriu mão, mesmo cientes que isso é desmoralizante numa época de grande desemprego como essa.

Mais uma prova que falar é fácil, mas fazer…

48935133_2078482025564856_8799611863143809024_n

Munição usada na morte de Marielle Franco foi roubada na sede dos Correios na Paraíba, diz Jungmann

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou nesta sexta-feira (16) que a munição usada na morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) foi roubada na sede dos Correios na Paraíba.

Jungmann deu a informação ao comentar o fato de a munição encontrada na cena do crime pertencer a um lote vendido à Polícia Federal de Brasília em 2006.

“Essa munição foi roubada na sede dos Correios, pela informação que eu tenho, anos atrás na Paraíba. E a Polícia Federal já abriu mais de 50 inquéritos por conta dessa munição desviada”, afirmou o ministro.

“Eu acredito que essas cápsulas que foram encontradas na cena do crime, este bárbaro crime, foram efetivamente roubadas. E, também, têm a ver com a chacina de Osasco, que já se sabe, e que a Polícia Federal está fazendo todo seu rastreamento, levantando todos os dados e vai apresentar muito em breve as conclusões às quais chegou”, completou.

Ao Jornal Nacional, Jungmann disse ainda que, em 2006, a PF comprou um lote de 1,9 milhão de munições da CBC e ocorreram desvios. Um desses desvios, afirmou o ministro, aconteceu em 2007, na própria PF, por um escrivão (processado, preso e demitido).

“Mas ele tinha feito um repasse do lote para algumas organizações criminosas do Rio. É isso que temos até aqui, mas a polícia está investigando tudo. Sabemos que aproximadamente 50 inquéritos ou mais foram abertos no Rio frutos exatamente de terem encontrado cápsulas desse lote encontradas em cenas de crime do Rio e mesmo fora de lá”, disse Jungmann.

Quinta vereadora mais votada do Rio em 2016, Marielle Franco foi assassinada a tiros na última quarta.

A morte dela causou grande repercussão, a ponto de pessoas em todo o país se manifestarem contra a violência, e o governo federal anunciar que concentrará “todos os esforços” em encontrar os assassinos.

Segundo Raul Jungmann, a Polícia Federal determinou ao melhor especialista em impressões digitais e em DNA que colha o material genético nas cápsulas.

“A PF tem um banco de dados e vai colocar esse material coletado para identificar [impressões digitais], o que já seria uma pista segura no que diz respeito a quem realizou o crime”, completou.

Federalização das investigações
Sobre se as investigações podem ser federalizadas, Raul Jungmann destacou que a Polícia Federal e a Polícia Civil do Rio já trabalham em conjunto.

Nesta quinta (15), a Procuradoria Geral da República informou que estuda pedir a federalização das investigações. Se o pedido for apresentado, caberá ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidir.

Intervenção federal
A segurança pública no Rio de Janeiro está sob intervenção federal há um mês, por decisão do presidente Michel Temer.

Sobre as medidas adotadas até agora, Jungmann afirmou que, se o objetivo dos assasinos de Marielle Franco for “abalar” ou “confrontar” a intervenção, pode-se avaliar que a ação federal no Rio está “no caminho certo”.

“Isso não nos abala. É uma tragédia que nós gostaríamos que nunca acontecesse, mas isso só nos dá mais determinação e mais força para seguir adiante, não tenham a menor sombra de dúvida”, concluiu.

Bg

Vereadora Marielle Franco é assassinada a tiros no centro do Rio de Janeiro

A vereadora do Rio Marielle Franco (PSOL) foi morta a tiros na noite desta quarta-feira, 14, dentro de um carro na região central carioca, quando ia de um evento para casa. O motorista do veículo também foi assassinado. Ela, de 38 anos, ficou conhecida como militante do movimento negro e de direitos humanos, com denúncias recentes de violência policial contra moradores de favelas no Rio.

Até 1 hora desta quinta, a polícia não havia esclarecido se a vereadora havia sido alvo de assaltantes ou se foi vítima de execução. Houve ao menos nove disparos e o criminoso conseguiu fugir, sem levar nada.

O ataque aconteceu na esquina da Rua Joaquim Palhares com a João Paulo I. Um automóvel emparelhou com o carro de Marielle, que seguia da Lapa para a Tijuca, e foram feitos os disparos contra o veículo.

O motorista foi identificado como Anderson Pedro Gomes, de 39 anos. Após ser atingido pelos tiros, ele ainda conseguiu trafegar cerca de 30 metros. No local, há uma câmera da Companhia de Engenharia de Tráfego, mas ainda não se sabe se o equipamento estava funcionando.

No veículo, também estava Fernanda Chaves, assessora parlamentar de Marielle, de 43 anos. Ela foi atingida por estilhaços e levada para o hospital. Nesta quinta, no início da madrugada, ela já havia sido liberada e prestava depoimento à polícia.

No local do crime, havia grande concentração de pessoas – várias delas bastante abaladas. O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), que estava no local do crime na noite desta quarta, disse que as características da morte “são muito nítidas de execução”.

Segundo ele, porém, nem a família nem os amigos tinham informações sobre possíveis ameaças contra a vereadora. “Cabe à polícia investigar. Esse é um crime contra a democracia.” Ao lado de Freixo, Marielle coordenou a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa.

Na Câmara Municipal do Rio, ela fazia parte da comissão que acompanhava a intervenção, como forma de coibir abusos das Forças Armadas e da polícia. Há oito dias, ela compartilhou denúncia de moradores de Acari, favela na zona norte carioca, sobre o suposto homicídio de dois jovens por policiais, além de ameaças por PMs. À época, a corporação não confirmou as mortes.

O crime aconteceu no mesmo dia que quatro PMs foram presos suspeitos de integrar milícia na Baixada Fluminense.

Indignação. Correligionário de Marielle, o deputado federal Chico Alencar lamentou a tragédia. “Tem de apurar séria e rapidamente porque isso pode ser o início de uma escalada sem tamanho, de um caos”, afirmou.

Alencar pretende viajar nesta quinta de Brasília até o Rio para acompanhar os desdobramentos. Para ele, uma das linhas de investigação deve ser a de execução, principalmente por causa das denúncias feitas pela colega. Em nota, o PSOL disse ter sido um “crime hediondo”.

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), decretou luto oficial de três dias. “Não vamos deixar que sua trajetória seja esquecida, não permitiremos que esse crime fique impune.” Já o governador Luiz Fernando Pezão (MDB) disse que foi um ato de “extrema covardia”.

Em nota, o Palácio do Planalto informou que vai acompanhar toda a apuração. Segundo o texto, o ministro da Segurança, Raul Jungmann, falou com o interventor, general Braga Netto, e “colocou a Polícia Federal para auxiliar em toda a investigação”.

Stephen Hawking, físico britânico, morre aos 76 anos

O reconhecido físico britânico Stephen Hawking morreu nesta quarta-feira, aos 76 anos, anunciaram seus filhos em um comunicado.

Hawking, cujo livro “Uma Breve História do Tempo”, lançado em 1988, se tornou um best-seller e o levou ao estrelato, dedicou a vida a desvendar os mistérios do universo.

Suas ideias brilhantes e sua genialidade renderam fãs em todos os segmentos, muito além da astrofísica, e ele chegou a ser comparado com Albert Einstein e Isaac Newton.

Hawking faleceu tranquilamente em sua casa na cidade britânica de Cambridge, na madrugada desta quarta-feira. “Estamos profundamente tristes porque nosso querido pai faleceu hoje”, declararam os filhos do professor Hawking, Lucy, Robert e Tim, em um comunicado publicado pela agência britânica Press Association. “Foi um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado perdurarão por muitos anos”. Hawking desafiou as previsões dos médicos, que lhe deram uma expectativa de vida de apenas alguns anos depois que ele foi diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica (ELA) aos 21 anos, doença que ataca os neurônios responsáveis por controlar os movimentos voluntários e que o deixou em uma cadeira de rodas.

A doença o deixou progressivamente paralisado, ao ponto de conseguir comunicar-se apenas com a ajuda de um computador que interpretava seus gestos faciais. “Sua valentia e persistência, aliadas ao seu brilhantismo e humor, inspirou pessoas em todo o mundo”, destacaram seus filhos.

Robinson desmente matéria do Fantástico e abre investigação para apurar vazamento

O governador Robinson Faria emitiu uma nota desmentindo a matéria veiculada na noite deste domingo, 11, no programa Fantástico da TV Globo. Na declaração Robinson classificou o material exibido como algo sensacionalista, que visa pressionar o Poder Judiciário, e acrescentou que a matéria alimenta o “jogo político”.

Neste domingo o Fantástico exibiu uma matéria na qual denuncia um esquema de corrupção na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte em que a ex-procuradora-geral da Casa, Rita das Mercês, acusa o governador de ter recebido pelo menos R$ 100 mil por mês desviados da Assembleia até agosto de 2015, quando foi deflagrada a Operação Dama de Espadas. Além do governador, Rita afirmou que deputados estaduais e federais, senadores também teriam se beneficiado do esquema.

A ex-procuradora disse ainda que para ficar calada e não denunciar o esquema Robinson enviava uma mesada para seu filho, Gustavo Villaroel, através de seu assessor o advogado Adelson Freitas dos Reis. Na matéria citada, aparece Adelson na casa de Rita entregando um pacote de dinheiro, as imagens fazem parte da investigação da Polícia Federal, o assessor ainda cita o nome de Robinson. Rita é investigada pelo Ministério Público estadual por suspeita de desvio de dinheiro da Assembleia Legislativa entre os anos de 2006 e 2011. Em valores de hoje o montante chegaria a R$ 9 milhões.

Em nota Robinson disse ainda que o vazamento do material protegido por segredo de justiça é “ilegal e criminoso”, e que já solicitou a instalação de um inquérito para apurar o caso. O governador também negou que tenha pedido para seu assessor fazer qualquer tratativa usando seu nome.

Leia a nota na íntegra:

O Governador Robinson Faria repele de forma veemente quaisquer referências ao seu nome em matéria veiculada na TV neste domingo (11).

Entende se tratar de reportagem requentada e sensacionalista, que estranhamente continha material protegido por sigilo de justiça e com a clara intenção de pressionar o Poder Judiciário, além de alimentar o jogo político.

A reportagem não trouxe nenhum fato novo e todo o conteúdo apresentado já é tratado no âmbito da Justiça, sendo o único fato novo trazido pela citada matéria o vazamento ilegal e criminoso de um vídeo protegido por segredo de justiça.

Sobre este fato, inclusive, o Governador Robinson já solicitou a instauração de um inquérito policial, a fim de identificar os autores deste vazamento criminoso.

A citação do governador neste assunto já foi alvo de investigação. Pessoas chegaram a ser conduzidas e logo em seguida liberadas, após responderem e esclarecerem as perguntas formuladas.

O Governador não tem absolutamente qualquer relação com a pessoa de Gutson, como apresentado na matéria. Adelson Reis é servidor da Assembleia Legislativa à disposição do Governo, e o governador jamais tratou com ele sobre quaisquer dos temas mostrados na reportagem, nem tampouco solicitou ao mesmo qualquer tratativa em seu nome, com quem quer que seja.

O próprio Adelson já afirmou às autoridades que era amigo de muitos anos de Rita das Mercês, e que era agradecido a ela por ter lhe empregado na Assembleia Legislativa, que morava em apartamento de propriedade da mesma e que se encontrou com a ela por este motivo e por conta própria.

Adelson também já afirmou em depoimento que o governador jamais pediu que ele tratasse deste assunto com Rita das Mercês, isentando-o de qualquer culpa nesse episódio. Disse ainda que mencionou o governador na conversa para tentar tranquilizar uma amiga em pânico e que o dinheiro que ele a entregou era dele, Adelson, e destinava-se ao filho de Rita, o que também foi revelado na gravação, de forma bastante clara.

O teor da matéria, mais se parecendo com um programa eleitoral de adversários, não tem contemporaneidade no que diz respeito ao Governo Robinson, sobre o qual não existe nenhuma denúncia de irregularidade, em seus mais de 3 anos de gestão.

AgoraRN