RN volta a ser o maior produtor de camarão do Brasil depois de longos anos

Resultado de imagem para produção de camarão no RN

Notícia maravilhosa na Tribuna do Norte desta sexta-feira. A reportagem destaca que após longos anos amargando o 2ª lugar na produção de Camarão no Brasil, o Rio Grande do Norte retomou a dianteira ultrapassando o Ceará.

Produzimos aqui nos nossos cativeiros 15,4 toneladas do crustáceo, o equivalente a 37,68% da produção nacional gerando uma receita de quase R$ 399 milhões.

O Ceará produziu 11,8 toneladas, o principal motivo para queda dos vizinhos foi a doença mancha branca.

Anúncios

STF cancela 92 mil títulos no RN. Quase 2 milhões e 400 mil potiguares estão aptos a votar no dia 07/10

Resultado de imagem para titulos de eleitores cancelados

Mais de 92 mil pessoas tiveram os títulos cancelados no Rio Grande do Norte por não terem feito o cadastramento biométrico, exigido nas eleições de 2018, segundo informou o Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE) nesta quinta-feira (27). O estado tem 2.373.619 eleitores aptos a votar. O primeiro turno do pleito acontece no dia 7 de outubro. O número exato de potiguares com títulos cancelados para esta eleição foi de 92.663.

Nesta quarta-feira (26), por sete votos a dois, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou um pedido apresentado pelo PSB para autorizar a votação dos eleitores que tiveram o título cancelado por não terem comparecido à revisão nem terem feito o cadastramento biométrico.

Para a maioria dos ministros, a legislação que permite o cancelamento do título de quem não comparecer à revisão do eleitorado não fere a Constituição nem prejudica os eleitores.

Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em todo o país, cerca de 3,4 milhões de eleitores tiveram título cancelado por não comparecer à revisão do eleitorado, na qual o cadastramento biométrico é realizado. Com a decisão, o Supremo confirmou o cancelamento desses títulos.

G1/RN

TRE-RN realiza encontro com membros das áreas de segurança para orientar sobre as Eleições 2018

Com a proximidade das Eleições 2018, os preparativos para o pleito seguem a todo vapor. O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) promoveu uma reunião com as forças de segurança para tratar sobre as condutas a serem seguidas no dia da votação. Estiveram presentes os representantes e membros de todas as áreas de segurança, incluindo as forças armadas, bem como as autoridades da Justiça Eleitoral.

Ao longo do evento, foram ministradas duas palestras sobre a temática. No primeiro momento, o juiz eleitoral Jarbas Bezerra trouxe explanações sobre a competência das forças públicas no dia das Eleições 2018, apresentando um Guia Rápido com instruções sobre a legislação e explicando aspectos referentes à política e manutenção da ordem. O Procurador Regional Eleitoral Substituto, Kleber Martins, também esteve presente e contribuiu com orientações sobre como identificar os crimes eleitorais no dia pleito, especificando os de menor e maior potencial ofensivo.

O presidente do TRE-RN, Desembargador Glauber Rêgo, realizou a abertura do evento. Na ocasião, ele saudou a todos e demonstrou a importância do encontro para o bom andamento das processo eleitoral. “Este é um momento para que sejam explanadas noções práticas de como atuar no dia das eleições, sabendo identificar o que se enquadra como crimes ou infrações. O desejo de todos é que tenhamos uma eleição tranquila, segura e transparente e, para que isso aconteça, é muito importante que todos possam compreender aquilo que é definido na Constituição Federal e no Código eleitoral, para que possamos exigir o cumprimento e a observância dessa legislação vigente. Com essas premissas, certamente garantiremos que tudo ocorra de maneira tranquila no dia do pleito”, afirmou o presidente.

A Procuradora Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, Cibele Benevides, esteve presente no evento e destacou o papel fundamental das forças armadas no dia das eleições. “Todos sabemos que o momento pelo qual o nosso país passa não é tranquilo, vivemos um tempo de muito acirramento e emoções. Por isso, é preciso que o Estado, através dos senhores, mostre serenidade e racionalidade. A missão das forças armadas nesta eleição é muito mais que garantir votação e apuração, mas também mostrar ao cidadão e ao eleitor que ele pode votar livremente, sem amarras e sem medos. É muito importante apresentar racionalidade neste momento, conferindo ao eleitor, que é o principal protagonista desse processo eleitoral, que a cidadania dele pode ser exercida em uma democracia”, disse a Procuradora. Ela ressaltou, ainda, que “O Ministério Público está à disposição dos senhores, para que a lei seja cumprida e a constituição seja respeitada. Que a lei e a ordem imperem neste pleito, e que nós possamos evitar, prevenir e punir a corrupção eleitoral”, afirmou.

O vice-presidente e Corregedor Regional Eleitoral, Desembargador Cornélio Alves, não pôde comparecer ao evento em virtude de viagem ao interior do estado para realizar compromissos referentes às eleições.

Efetivo nas Eleições 2018

General de Brigada Carlos Sydrião, Comandante da 7.ª Brigada de Infantaria Motorizada, também prestigiou o encontro e expôs a logística da atuação dos militares no Rio Grande do Norte no dia da votação. Um pedido da Justiça Eleitoral foi realizado ao Ministério da Defesa, solicitando a presença das forças federais no dia do pleito. Ao todo, 97 municípios do estado – correspondendo a 39 zonas eleitorais e 780 locais de votação, serão contemplados com a presença dos militares. “A partir do dia 04 de outubro, começam a chegar tropas vindo de estados como Bahia, Paraíba e Pernambuco, garantindo um efetivo de 3.600 militares para atender a demanda do estado potiguar nas Eleições 2018”, destacou.

Temos menos de uma década para impedir uma catástrofe na Antártida; continente perdeu 3 trilhões de toneladas de gelo nos últimos 25 anos

ANTÁRTIDA DEMANDA AÇÃO IMEDIATA CONTRA O AQUECIMENTO GLOBAL PARA CONTINUAR EXISTINDO COMO A CONHECEMOS. (FOTO: CREATIVE COMMONS / MARIAMICHELLE)

A Antártida perdeu três trilhões de toneladas de gelo entre 1992 e 2017, de acordo com uma nova análise de observações de satélite. Na vulnerável Antártida Ocidental, a taxa anual de perda de gelo triplicou durante esse período, chegando a 159 bilhões de toneladas por ano. No geral, gelo suficiente foi perdido da Antártida nos últimos 25 anos para elevar os mares globais em oito milímetros.

Como será a Antártida no ano de 2070 e como as mudanças na Antártida impactarão o resto do mundo? A resposta dessas perguntas depende das escolhas que fazemos na próxima década, conforme descrito em nosso documento de acompanhamento, também publicado na Nature.

Nossa pesquisa contrasta duas narrativas em potencial para a Antártida ao longo do próximo meio século – uma história que vai se desenrolar durante as vidas das crianças e jovens adultos de hoje.

Enquanto os dois cenários são necessariamente especulativos, duas coisas são certas. A primeira é que, uma vez que mudanças significativas ocorram na Antártida, estamos comprometidos com séculos de mudanças adicionais e irreversíveis em escalas globais. A segunda é que não temos muito tempo – a narrativa que acaba se desenrolando dependerá das escolhas feitas na próxima década.

Mudança na Antártida tem impactos globais

Apesar de ser a região mais remota da Terra, as mudanças na Antártida e no Oceano Austral terão consequências globais para o planeta e para a humanidade.

Por exemplo, a taxa de elevação do nível do mar depende da resposta da camada de gelo da Antártida ao aquecimento da atmosfera e do oceano, enquanto a velocidade da mudança climática depende de quanto calor e dióxido de carbono são absorvidos pelo Oceano Antártico. Além disso, os ecossistemas marinhos em todo o mundo são sustentados pelos nutrientes exportados do Oceano Antártico para latitudes mais baixas.

De uma perspectiva política, a Antártida e o Oceano Antártico estão entre os maiores espaços compartilhados na Terra, regulados por um regime de governança único conhecido como o Sistema do Tratado da Antártida. Até agora, este regime tem sido bem sucedido em gerenciar o meio ambiente e evitar a discórdia.

No entanto, assim como os sistemas físicos e biológicos da Antártida enfrentam desafios da rápida mudança ambiental impulsionada pelas atividades humanas, o mesmo ocorre com a gestão do continente.

Antártida em 2070

Consideramos duas narrativas dos próximos 50 anos para a Antártida, cada uma descrevendo um futuro plausível baseado na ciência mais recente.

No primeiro cenário, as emissões globais de gases de efeito estufa permanecem sem controle, o clima continua aquecido e pouca ação política é tomada para responder a fatores ambientais e atividades humanas que afetam a Antártida.

Nesse cenário, a Antártida e o Oceano Antártico sofrem mudanças generalizadas e rápidas, com consequências globais. O aquecimento do oceano e da atmosfera resulta na perda dramática de grandes plataformas de gelo. Isso causa perda do manto de gelo da Antártida e a aceleração do aumento do nível do mar para taxas não vistas desde o final do último período glacial, há mais de 10.000 anos.

O aquecimento, o recuo do gelo marinho e a acidificação dos oceanos alteram significativamente os ecossistemas marinhos. E o crescimento irrestrito no uso humano da Antártida degrada o meio ambiente e resulta no estabelecimento de espécies invasoras.

No segundo cenário, ações ambiciosas são tomadas para limitar as emissões de gases de efeito estufa e estabelecer políticas que reduzam a pressão humana no meio ambiente da Antártida.

Sob esse cenário, a Antártida em 2070 parece muito com hoje. As plataformas de gelo permanecem praticamente intactas, reduzindo a perda da camada de gelo da Antártida e, portanto, limitando o aumento do nível do mar.

Um regime de governança cada vez mais colaborativo e eficaz ajuda a aliviar as pressões humanas na Antártida e no Oceano Antártico. Os ecossistemas marinhos permanecem praticamente intactos, à medida que o aquecimento e a acidificação são controlados. Em terra, as invasões biológicas permanecem raras. Os invertebrados e micróbios únicos da Antártida continuam a florescer.

A escolha é nossa

Podemos escolher quais dessas trajetórias seguiremos no próximo meio século. Mas a janela de oportunidade está se fechando rapidamente.

O aquecimento global é determinado pelas emissões globais de gases do efeito estufa, que continuam a crescer. Isso nos comprometerá com impactos climáticos ainda mais inevitáveis, alguns dos quais levarão décadas ou séculos para acontecer. As emissões de gases de efeito estufa devem atingir o pico e começar a cair na próxima década se a nossa segunda narrativa tiver a chance de se tornar realidade.

Se o nosso mais otimista cenário para a Antártida acontecer, há uma boa chance de que as plataformas de gelo do continente sobrevivam e que a contribuição da Antarctida para a subida do nível do mar permaneça abaixo de um metro. Esse aumento desalojaria milhões de pessoas e causaria dificuldades econômicas substanciais.

Sob o mais danoso dos nossos cenários potenciais, muitas plataformas de gelo da Antártida provavelmente serão perdidas e a camada de gelo da Antártida contribuirá com até 3 metros de aumento do nível do mar em 2300, com um compromisso irreversível de 5 a 15 metros nos próximos milênios.

Embora desafiador, podemos agir agora para evitar que a Antártida e o mundo sofram conseqüências climáticas descontroladas. O sucesso demonstrará o poder da colaboração internacional pacífica e mostrará que, quando se trata da crise, podemos usar evidências científicas para tomar decisões que são do nosso interesse a longo prazo.

(*Steve Rintoul, é chefe da Equipa de Investigação Marinha e Atmosférica, CSIRO, órgão de pesquisa do governo australiano. Steven Chown é professor de Ciências Biológicas na Monash University, também na Austrália. Escreveram originalmente em inglês no The Conversation.)

Galileu

Tráfego de veículos em trincheira da BR-101 em Nova Parnamirim liberado a partir deste sábado

Foto: Dnit/Divulgação

A tão aguardada passagem inferior construída na BR-101, próximo à avenida Maria Lacerda, em Nova Parnamirim, na região metropolitana de Natal, terá seu trecho liberado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit). A partir deste sábado(29), a trincheira construída no vão central da rodovia, que pega as vias nos sentidos Natal – Parnamirim e Parnamirim – Natal, estará livre para tráfego.

Segundo o Dnit, também está prevista para o mesmo dia a liberação para o tráfego no retorno para a avenida Maria Lacerda. Para que isto ocorra, será necessária uma vistoria do corpo técnico que ainda será feita no local.

Quanto a liberação do túnel do viaduto que fica próximo à avenida Abel Cabral, não foi estabelecido prazo para sua liberação.

Definido Plano Operacional de Segurança para as Eleições Gerais de 2018 no RN; confira

O Plano Operacional de Segurança para as eleições 2018 foi apresentado nesta terça feira(25) pelos representantes da Secretaria de Segurança e Defesa Social ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, desembargador Glauber Rêgo, ao Corregedor, desembargador Cornélio Alves e aos juízes das zonas eleitorais de Natal. Quase cinco mil policiais militares, civis, bombeiros, polícia de trânsito, força nacional e guardas municipais de Natal, Mossoró e Macau irão participar do esquema de segurança que começará no sábado, dia 6, a partir das 15h. Cada local de votação terá entre dois policiais e seis policiais no dia da eleição. Na abertura da reunião, o presidente do TRE-RN comunicou a secretária Sheila Freitas que sessenta oficias, lotados no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, irão atuar na segurança dos magistrados no dia 7 de outro. Uma reunião entre o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Expedito Ferreira com o presidente e corregedor do TRE-RN definiu a participação deles no pleito.

De acordo com planejamento, os 1551 locais de votação nos municípios do interior do Rio Grande do Norte irão contar com um efetivo de 2.885 PMs. Todos irão receber diárias operacionais. Na capital e nos municípios da Região Metropolitana serão 956 PMS, cumprindo escala de 30hs, começando no sábado, às 15h e concluindo o trabalho ao término da apuração. O comando nessa área será do Ten.Cel Santos Lima.

A Guarda Municipal de Natal, que vai participar do esquema de segurança das eleições pela primeira vez, vai disponibilizar 120 guardas que serão incluídos na escala da PM. No dia 7 de outubro as delegacias instaladas nos municípios das Zonas Eleitorais funcionarão normalmente com a atuação de todos os delegados. Já a Força Nacional, que atua no Rio Grande do Norte desde de 2016, vai colaborar com a Justiça Eleitoral com a participação de 100 homens em Natal, região metropolitana e Mossoró. A DPRE, a Polícia de Trânsito, responsável pelo monitoramento de 79 rodovias estaduais, vai escalar 225 policias para os dias 6 e 7 de outubro. Já os policiais bombeiros irão trabalhar em regime de sobreaviso e de plantão nas unidades dos municípios pólos.

O presidente do TER-RN, desembargador Glauber Rego, agradeceu a secretária Sheila Freitas o empenho do governo em atender a demanda da Justiça Eleitoral . “Saio da reunião com bastante satisfeito com o plano apresentado e certo de que teremos uma eleição tranquila no Rio Grande do Norte. O resultado só é satisfatório quando é planejado e foi isso que presenciamos aqui”, declarou.

ESQUEMA DE SEGURANÇA CONTINUA NA QUINTA-FEIRA

Na próxima quinta-feira, dia 27, às 14h, no plenário do TER-RN, a Justiça Eleitoral vai reunir os representantes das áreas da segurança para apresentação dos procedimentos que serão usados nas Eleições Gerais de 2018. O Ministério Público Eleitoral vai participar do evento.

Começa hoje liberação de empréstimo consignado com garantia do FGTS

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal começa a liberar hoje empréstimos consignados com garantia do FGTS a partir desta quarta-feira, 26. Neste primeiro momento, somente a Caixa deve operar essa modalidade de crédito aprovada pelo conselho curador do FGTS.

No empréstimo consignado, o desconto das parcelas do empréstimo é feito diretamente no salário do trabalhador, o que diminui o risco de inadimplência. Como esse empréstimo tem a garantia do FGTS, o risco é menor ainda, que permite que as taxas de juros sejam menores que as cobradas por outras modalidades de crédito.

Homem é preso ao arrombar supermercado em Rosas dos Ventos

Um homem foi preso nas primeiras horas da madrugada desta segunda-feira (24) ao arrombar a parede de um supermercado, no bairro de Rosas dos Ventos, em Parnamirim. Tony de Campos Silva, 27 anos, residente no estado do Mato Grosso, foi surpreendido pela Polícia Militar e com ele foi apreendido várias ferramentas.

Ele foi conduzido à Delegacia de Plantão da Polícia Civil e ficará à disposição da Justiça.

 

Entre as mulheres, 51% ainda estão sem candidato a presidente

A duas semanas do primeiro turno, o número de mulheres sem candidato a presidente é elevado: na pesquisa Datafolha da última quinta-feira, ao responder de forma espontânea à pergunta “em quem você vai votar?”, 51% delas afirmaram ainda não saber (38%) ou pretender votar nulo ou branco (13%), o que corresponde a 39,4 milhões de eleitoras.

Na ponta do lápis, para cada homem sem candidato, há duas mulheres na mesma situação. A pedido do GLOBO, o Datafolha mapeou seu perfil socioeconômico. O resultado revela que 45,3% moram no Sudeste e 54% ganham até dois salários mínimos por mês.

Este grupo, que totaliza 27% de todo o eleitorado, pode definir quais candidatos irão para o segundo turno, o que vai exigir dos postulantes à Presidência esforço redobrado para conquistar sua confiança na reta final. Na avaliação de cientistas políticos, os dados detalhados da pesquisa refletem a frustração com os políticos e o pragmatismo do eleitorado feminino de baixa renda, que ainda não conseguiu identificar entre os candidatos uma resposta a seus anseios.