50 MOTORISTAS ALCOOLIZADOS SÃO FLAGRADOS NA OPERAÇÃO LEI SECA NA ABEL CABRAL

Cerca de 450 motoristas e condutores de motocicletas foram abordados durante uma operação Lei Seca, na madrugada deste sábado (25), na avenida Abel Cabral, em Nova Parnamirim. Durante a blitz 50 pessoas foram flagradas sob efeito de álcool e uma delas presa em flagrante por apresentar sinais claros de embriaguez.

De acordo com a assessoria de comunicação da PM todos os condutores autuados foram levados para a Central de Flagrantes, eles responderão processo administrativo e pagarão multa, além de suspensão da CNH. Além das infrações de alcoolemia, outros 35 autos por infrações diversas foram confeccionados e seis veículos removidos ao pátio do Detran por irregularidades.

Uma das pessoas abordadas foi um homem de 51 anos, ele acabou preso em flagrante por apresentar sinais claros de embriaguez. O condutor chegou a tentar fugir do local derrubando cones e quase atropelando os policiais. “De tão embriagado ele não conseguiu fazer o teste e diante disso tivemos que dá voz de prisão”, disse um dos policiais. O preso poderá pagar fiança, mas responderá pelo crime do ART.306 do Código Brasileiro de Trânsito, além de penalidades administrativas e multa.

FOTO: PMRN
Por Portal BO

Anúncios

Alysson Bezerra usou verbas de gabinete para pagar contas em restaurantes

Em seu primeiro mês de mandato, o deputado estadual Alysson Bezerra( Solidariedade) recebeu além dos R$ 23.000 de seu salário, ressarcimento de contas em restaurantes no valor de R$ 1.021,00 segundo o Portal da Transparência da Assembleia Legislativa do RN.

Com isso recebeu o reembolso benefício da verba indenizatória, que tanto criticou antes de tomar posse. O ressarcimento de verba pública para gastos em restaurantes é discutível, pois (quase sempre) é utilizado como um artifício para aumento do salário.

Ao usar as notas para ressarcimento, basta constar ser de um restaurante a nota, que automaticamente o dinheiro é ressarcido, não precisando o parlamentar explicar se realizava algum evento ou apenas estava utilizando o benefício para não gastar do seu próprio salário, um jeitinho para aumentar ainda mais o seu salário.

Por suas redes sociais, o deputado de vez em quando aparentemente faz referência aos seus hábitos alimentares. No último fim de semana postou fotos com camarões, emulando a alegria do novo político ao desfrutar destas iguarias.

O jovem deputado que até então havia gerado polêmica por ainda hoje negar que votou favoravelmente à criação do 13º salário para deputados estaduais, embora tenha sido comprovada a sua presença no plenário e voto a favor, parece não ter discernimento do que é legal juridicamente mas condenável perante a opinião pública, com discurso agressivo contra as famílias e pessoas e não contra as práticas políticas que têm adotado e usufruído desde a posse.

Allysson Bezerra tem causado desconforto até na própria família ao lançar seu primo Leonardo Martins (SDD) a vereador enquanto seu Tio Manoel Bezerra tem buscado sua viabilidade jurídica para mais uma reeleição ou desejava indicar o sucessor caso não sane algumas pendências no âmbito eleitoral a tempo. Allysson açodadamente, também parte para lançar o primo a vereador e pode ter mais problemas até mesmo na família à frente. Pelo visto a imaturidade tem feito o neófito deputado cometer alguns erros primários, dentre os quais está a agressividade no discurso.

Os gastos, conforme o Portal da Transparência da Assembleia Legislativa foram assim distribuídos:

Capucci Restaurante LTDA – ME – R$ 751,28

Churrascaria e Restaurante Guaíba LTDA -ME – R$ 120,00

Churrascaria Guaíba LTDA – ME – R$ 43,00

Churrascaria Guaíba – R$ 107,00

O deputado Alysson Bezerra, que gastou e recebeu 21.401,00 de restituição mensal em fevereiro ( quando o parlamentar paga, apresenta a nota fiscal do gasto e recebe o dinheiro de volta). Antes da posse, ele se dizia contra a verba indenizatória.

É mais uma contradição do discurso da “nova política” pregado pelo deputado para criticar adversários. Gastar mais de que um salário de um trabalhador que recebe salário mínimo logo no 1º mês de mandato, bem como o voto a favor de um décimo-terceiro para deputados enquanto os mais de 100.000 servidores estaduais estão com 4 meses de salários atrasados é, no mínimo, duvidoso. Resta saber contra quem o deputado irá vociferar contra após o óbvio aparecer, alguém da imprensa livre checar o Portal da Transparência da Alern.

Por Jornal Folha Regional

AUTISMO: A história de liberdade de Ângelo e Augusto e de uma mãe coragem

Nas ideias meio desconexas, o desejo de dominar o céu como pilotos de avião. Nem é sonho buscado ou meta planejada de vida. Ângelo e Augusto têm compulsão mesmo é pela amizade, pelo contato com pessoas desconhecidas e potencialmente amigas.

Sim, eles parecem de outro mundo. Um mundo mais inocente, mais afetuoso, sem violências ou casais falidos presos às tentações efêmeras dos papos do

aut-os-dois-287x300.jpgzap. No universo gigantesco desses irmãos gêmeos, cabem dois quarteirões perto de casa e possibilidades infinitas.

Alguns se assustam com eles. Outros se incomodam. E eles nem ligam. Estão noutra vibe, mais útil ao mundo deles ou do nosso. É energia positiva ligada no automático. E tentam esse contágio junto aos “amigos” que nunca viram, que encontram em mesas de bares e de shoppings do seu mundo único.

Delicado porque ainda resta preconceito e dificuldade de inserção social. “Estudado” porque muitas descobertas para essa deficiência ainda são esperadas. Os casos de Ângelo e Augusto servem de exemplo. Basta lerem essa postagem para conhecer a história, eu diria heroica, de Luci Maia, a mãe deles.

A MÃE QUE FABRICOU UM MUNDO REAL
Dona Luci já era mãe de três filhos quando os caçulas Ângelo e Augusto nasceram. A experiência materna logo diagnosticou diferenças no desenvolvimento dos bebês. Faltava interação, olhos nos olhos, as primeiras palavras. E desde cedo procurou especialistas, mas na distante década de 80 o autismo ainda era mistério.

12988147_988310057884649_1580978783_n-340x225

Dona Luci lidou com a situação sem mais amparos. Tentou outros médicos em outros estados: Recife, São Paulo, doutores renomados vindos da Holanda, Cuba, Espanha… E nenhuma resposta satisfatória. O autismo parecia vir da própria medicina, ainda isolada do tema.

Os meninos cresciam dentro das suas redomas psíquicas. E antes fosse esse o problema. Dona Luci sentia também da própria sociedade esse isolamento. Sem abertura nas escolas para receber seus filhos, criou ela própria o Jardim Escola Dois Amores – o nome não foi à toa. Seria apenas o primeiro passo para inserir os gêmeos no mundo “real”.

O Jardim foi adaptado até virar a Escola Educar e passou a atender crianças do 1º ao 4º ano. Depois, evoluiu até o 9º ano para que Ângelo e Augusto desfrutassem de ambiente escolar saudável. A Escola Educar, situada à Miguel Castro, fechou há apenas dois anos após 24 anos de educação inclusiva, sem preconceitos. Cumpriu seu papel. O espaço hoje é alugado e ainda mantém a sina sendo creche e escola.

A DESCOBERTA DO AUTISMO E DE WILLIAMS
O estereótipo da pessoa autista é a introspecção. O oposto do comportamento de Ângelo e Augusto, viciados no contato social. Por volta dos quatro anos, o olhar focado em sua própria consciência aflorou para uma vontade de ganhar e ver o mundo. E a causa desse descompasso seria um mistério ainda mais nebuloso que o autismo naquela época.

A Síndrome de Williams, ou síndrome Williams-Beuren, era um buraco negro para a medicina. Uma desordem genética rara cujo efeito incide no atraso psicomotor e em algumas características físicas, como lábios cheios, dentes pequenos e sorriso frequente. E influencia também no comportamento sociável e comunicativo. Estava explicado. Mas um diagnóstico descoberto quase duas décadas depois, quando os dois já tinham 20 anos de idade.

Ângelo e Augusto têm sintomas de autismo e da síndrome de williams. Mas seus comportamentos não advêm apenas do diagnóstico frio da ciência. Muito é motivado pela educação materna. Dona Luci já tinha formação em pedagogia e buscou especialização em psicopedagogia para auxiliar nos cuidados com os filhos caçulas: “Busquei auxílio porque não recebia respostas da medicina para o problema”.

E desse conhecimento adquirido aliado à vontade de ver a felicidade dos filhos brotou a independência dos gêmeos, até então limitados pelas agruras das doenças. Ambos são vistos sozinhos em bares de um quadrilátero do bairro de Lagoa Nova. Impossível eles passarem despercebidos. Frequentam cada mesa, buscam assunto, opinam, elogiam e, sobretudo, sorriem. São amigáveis porque buscam amigos.

“Sou criticada por alguns por deixarem eles sozinhos. Mas eles foram treinados desde pequeno para isso. São obedientes, educados, só frequentam lugares dentro do limite de dois quarteirões de casa e voltam sozinhos na hora estipulada”, se orgulha a mãe de 68 anos.

HUMANOS, TRISTE E DEMASIADAMENTE HUMANOS
Nem a alma amiga e inocente de dois jovens inibe a sanha bárbara de alguns. Alguns incidentes ainda remontam tristes lembranças para dona Luci. O pior deles aconteceu na praia de Pirangi. Veranistas antigos, Ângelo e Augusto são muito conhecidos e queridos na comunidade praiana. Circulam pela orla, pelos bares e avenidas carnavalescas; têm muitos amigos em Pirangi.

“Mas certa vez um acontecimento mexeu muito com nossa família. Foi muito duro, sabe? Na beira da praia tinha uma mulher com criança no braço, provavelmente passando o dia. Augusto quis dar um abraço afetuoso ou tocou ela no braço, o namorado ou marido viu de longe, correu e bateu muito nele. Por sorte, como são muito conhecidos, uma senhora veranista correu para explicar a situação dele. Por outro lado, esse acidente nos mostrou o quanto eles são queridos. Pirangi inteira mostrou solidariedade, e também recebemos mensagens de gente de Natal, que soube do ocorrido”.

Dona Luci explica que os dois, embora “treinados” para serem educados, comedidos, não possuem noção da consequência dos seus atos, dos perigos e infortúnios da vida. Não sabem analisar comportamentos ou prever consequências. Em resumo: eles são treinados a lidar com pessoas e não com a insensatez.

Em outro episódio, o pior foi abafado pelo bom senso. No Bar do Pedrão, em Lagoa Nova, os gêmeos passavam constantemente em frente à transmissão do jogo de futebol na TV. Um dos clientes, impaciente, quis também bater nos meninos, mas foi contido pelos próprios frequentadores do bar e até o dono pôs este humano, demasiado humano, para fora do estabelecimento.

LIBERDADE E RECONHECIMENTO
A liberdade é íntima da felicidade. Para Ângelo e Augusto é sinônimo. E a independência dos caçulas foi busca insistente de dona Luci até a alegria aflorar e ela própria, encontrar uma sabedoria que a fez também uma pessoa melhor, alegre junto aos filhos.

Se o inferno são os outros ou os aforismos insistem também que de perto ninguém é normal, Ângelo e Augusto parecem mesmo anormais. São bem diferentes com suas alegrias, suas querências de contato amigo, suas liberdades dentro de seu universo de dois quarteirões de um mundo irreal e mais ameno.

Dona Luci se aposentou da escola e continua a serviço dos filhos, sobretudo dos caçulas. A preocupação persiste. Mas qual mãe descansa? Mais importante é que há uma sensação de dever cumprido a cada sorriso dos gêmeos. E os sorrisos são constantes – doses homeopáticas de gratidão estampadas nos rostos dos dois, a toda hora.

E após 35 anos de dedicação, a mãe coruja conseguiu algo tão raro quanto a síndrome diagnosticada tardiamente em Ângelo e Augusto. Dona Luci conseguiu dois filhos felizes num mundo em crescente depressão. Filhos alegres em meio ao estresse do cotidiano. Filhos livres na eterna prisão das ruas.

Esse post será publicado hoje, na semana dedicada ao autismo. Mas bem poderia demorar um pouquinho e ser postado no dia das mães.

Parabéns, dona Luci!

Brunninha sofre parada cardíaca e morre em hospital do Recife

A garota Brunninha, de 7 anos, morreu no final da tarde deste domingo, 7, após sofrer uma parada cardíaca em um hospital do Recife, capital de Pernambuco.

Brunna Silveira Lopes comoveu o Rio Grande do Norte na semana passada após ter sua história relatada pelo médico Madson Vidal. Ela estava à espera de um transplante de coração que só foi conseguido na quinta-feira.

Por não ter estrutura para esse tipo de caso, o Rio Grande do Norte teve que encaminhar a garota para o Recife, onde ela recebeu o novo coração em um hospital especializado. Neste domingo, no entanto, veio a óbito.

AgoraRN

Vereador Betinho da “Mala”.

Quase 3 anos de mandato como vereador o Betinho da Mala ainda não mostrou para que foi eleito vereador.

Praticamente no primeiro dia de seu mandato, comprou um carro novo e até hoje não se viu em Parnamirim nenhuma repercussão tendo o parlamentar como protagonista.

Comenta -se, “mas não sabemos da veracidade”, que nos corredores da Câmara de Municipal, é prática comum reclamar e criticar o executivo e depois ficar calado, em troca de gordos cargos na Prefeitura.

Que Parnamirim está um caos é da ciência de todos, o que não se sabia era que o Vereador Betinho faz parte da “panelinha de barro” do Prefeito, tinha autonomia para também ajudar a destruir o Prefeito Taveira.

Betinho Mala, está na base do Governo ou não?

Aguardemos as próximas postagens na rede social do parlamentar. Ele vai afagar o Prefeito ou mostrar a realidade do sofrido povo de Parnamirim? Façam suas apostas.

A rede social e pública instagran do “Da Mala” é @betinhodamala .

Mulher é agredida por PM em lanchonete por ‘pedido errado’; veja vídeo

Câmeras de segurança de uma lanchonete flagraram o policial militar Augusto César Lima Santana, do 9º BPM (Rocha Miranda) arrastando uma funcionária pelo chão, puxando-a pelos cabelos e agredindo-a com coronhadas na cabeça. Conhecido como Tito, o PM também chutou a jovem na madrugada desta quinta-feira.

Policiais da Corregedoria da Polícia Militar estiveram na manhã desta quinta-feira no Núbia Lanches, na Rua Mandina, em Curicica, Jacarepaguá. Eles convidaram a comerciante agredida, Liz Pacheco, de 24 anos, a comparecer à 2ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM) para prestar depoimento sobre as agressões sofridas. A agressão foi causada após um desentendimento em relação à entrega de um sanduíche.

Segundo Liz, os agentes concordaram com o pedido de não ficar frente a frente com o acusado de agressão na corregedoria, para onde o PM foi levado preso.

— A mulher dele ligou dizendo que havíamos errado de sanduíche. Tentei explicar a ela que o sanduíche levava molho. Tudo que eu dizia, ela repetia para alguém que estava do lado dela no telefone. De repente, o policial pegou o aparelho e começou a me xingar, a me chamar de piranha, de ignorante — relata

Durante a agressão, o policial manteve a arma em punho. Após a agressão, Liz foi levada ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Ela precisou levar três pontos na cabeça e teve escoriações pelo corpo. Ela contou que o motivo de tanta violência por parte do policial se deu por causa de um sanduíche chamado Barbie Bacon. Segundo ela, o molho barbecue, motivo da reclamação, faz parte do sanduíche.

Carrinho de lanches explode e deixa comerciante ferida em Natal

Uma comerciante sofreu queimaduras após seu carrinho de lanches explodir em uma avenida movimentada do bairro Alecrim, na Zona Leste da capital. Segundo o Corpo de Bombeiros, o incidente registrado no final da manhã de sábado (16) foi provocado por vazamento de gás.

A explosão aconteceu na Rua dos Paianazes, também conhecida como Avenida 10, por volta das 11h. Além da comerciante, que estava em seu primeiro dia de trabalho, ninguém mais ficou ferido.

Conforme o Corpo de Bombeiros, o motivo da explosão foi o acúmulo de gás em um local confinado. A mulher guardou o botijão de gás em uma espécie de armário dentro do carrinho e, possivelmente, houve vazamento.

Como o gás inflamável ficou acumulado dentro do carrinho, quando a comerciante foi acender o fogo, houve a explosão. Ela sofreu queimaduras e foi socorrida pela própria população ao Pronto-Socorro Clóvis Sarinho, na Zona Leste da capital.

De acordo com o capitão Christiano Couceiro, comandante do 1º grupamento do Corpo de Bombeiros, esse tipo de instalação é irregular e não deve ser usada pelos comerciantes de rua, da capital.

“A explosão causou a destruição do carrinho, causou queimaduras e poderia ter ferido também outras pessoas”, ressaltou.

A fiscalização dos comerciantes ambulantes na cidade é de responsabilidade da Prefeitura de Natal.

Parnamirim: Cidade sem Gestão.


A chegada do período chuvoso trouxe a tona a verdadeira situação administrativa de Parnamirim: um caos total.

Não vamos esticar muito as críticas, vamos apenas em um ponto específico: nossas escolas municipais.

A gambiarras promovidas pela atual gestão de Rosano Taveira foram desmascaradas e vieram a tona em tristes imagens e vídeos que estão circulando na internet.

É extremamente lamentável ver o abandono desses importantes equipamentos educacionais que deveriam servir para garantir o futuro de nossas criancas, mas tem servido, em verdade, como radiografia do caos e do terror.

Isso é um ultrapassou o limite do aceitável, para o perigo de tragédia anunciada em caso de permanência humana nesses ambientes sem a mínima condição de funcionamento.

Vamos aguardar a posição de nossas autoridades e divulgaremos as providências que forem tomadas.

Hospital Walfredo Gurgel inicia mês de março com corredores vazios

Os corredores do Pronto Socorro Clóvis Sarinho (PSCS), anexo ao Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG), estão vazios e sem pacientes internados em macas. A informação foi confirmada nesta sexta-feira, 1º, pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), que faz o gerenciamento da unidade.

Segundo a pasta, o esvaziamento dos corredores foi possível devido a um novo fluxo de atendimento, com a transferência da linha de cuidado dos pacientes da especialidade de cirurgia vascular para o Hospital Ruy Pereira. Nesta sexta-feira, véspera do período de carnaval, as áreas de circulação do Clóvis Sarinho estão totalmente livres de macas e pacientes indevidamente acomodados.

“Esta é uma vitória que gostaríamos de poder estar comemorando há mais tempo. Contudo, somente agora, com a transferência da linha de cuidado dos pacientes da cirurgia vascular para o Ruy Pereira, este sonho se torna realidade. O que muito nos anima, pois já sentimos uma grande diferença na qualidade do cuidado prestado ao nosso paciente”, afirma a diretora geral do HMWG, Maria de Fátima Pereira Pinheiro.
A mudança na qualidade da assistência citada pela diretora foi sentida mais fortemente na semana passada, quando uma vítima de acidente de trânsito com estado grave de saúde deu entrada no PSCS, foi avaliado por diferentes especialidades, passou por exames e teve sua cirurgia iniciada em apenas 50 minutos.
Para o ortopedista que cuidou do caso, Rodrigo Cabral, este é um alto padrão de atendimento, raramente visto mesmo na rede privada de saúde. “Este é o nível de atendimento que o Walfredo Gurgel merece manter. Este é o nosso perfil: a assistência ao politraumatizado com agilidade e qualidade que sempre foi nossa principal missão”, comemora.
“Nossa atual meta é permanecer com os corredores livres, internando apenas nas enfermarias e qualificando ainda mais a atenção ao doente politraumatizado, razão de existir deste hospital, como a população de nosso estado merece”, finaliza.
Com 18 anos de assistência prestada à população do Rio Grande do Norte completados em 8 de fevereiro passado, o Pronto Socorro Clóvis Sarinho é o maior do estado em sua especialidade. Seu nome homenageia o médico pernambucano radicado no RN, membro da Academia de Medicina do Rio Grande do Norte, que foi co-fundador e diretor da Casa de Saúde São Lucas e da Faculdade de Medicina de Natal, dentre outros feitos na área da medicina.
Fonte: Agora RN